domingo, 30 de dezembro de 2012

Chapa de Identificação da Lisnave

Há já algum tempo atrás publiquei no blogue, algumas chapas de identificação da Lisnave. Contudo há poucos dias chegou-me às mãos uma de outro modelo. Esta será certamente dos anos 60 sendo em tudo semelhante aos que eram usadas na época do Estaleiro Naval da CUF. Pode-se ainda observar que estaria pintado do que me parece ser um verde escuro. Como se poderá observar ainda, o numero de trabalhador era o 22804. Esta chapa identificativa era colocada ao peito nos fatos de trabalho dos operários que assim ficavam devidamente identificados.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Festas Felizes

Caros amigos e leitores deste blogue, venho desejar-lhes nesta época festiva um Feliz Natal (dentro de todas as possibilidades) e que o Novo Ano, se revele um ponto de viragem para um Portugal melhor. Mas para isso acontecer lembrem-se todos vocês que não depende só do Estado (alias cada vez menos) mas sim de todos nós, para que tal miragem seja amanhã uma realidade.

Este ano deixo à Lisnave  a honra de vos desejar a todos as boas festas com este interessante postal, da década de 70. Observem  que quando se puxa o super-petroleiro para fora, este tem uma original mensagem de boas festas.

Festas Felizes para todos

Ricardo Ferreira.





segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Agenda de Bolso da Divisao de Texteis da CUF

Desde miúdo, que as agendas de bolso me fascinam. Em casa do avô existiam varias, ofertas de tempos idos. Quando lá ia adorava ficar horas a desfolhar esses pequenos livros que no se interior guardam múltiplas informações, bem como retalhos da vida das pessoas. O mais fascinante para mim, é que pensar há 40/50 anos uma pessoa abria aquele pequeno livro, e tinha acesso a informações importantes como os telefones mais importantes de Lisboa e do Porto, dos Táxis, dos Cinemas e Teatros, quais as carreiras dos eléctricos e autocarros, quais os feriados, as distancias quilométricas, os sinais em vigor no código da estrada, e ate curiosidades de como tirar nódoas! Hoje o mundo é diferente, as agendas de bolso são o mais simples possivel, ate porque esse tipo de informações estão a um "clik" do dedo, do comum dos mortais através das auto-estradas internauticas. 

Quanto a esta Agenda de Bolso, foi editada pela Divisão de Têxteis da CUF no ano de 1963. Observe-se a grande diversidade de produtos fabricados por esta Divisão, cujo a maioria dos seus serviços se encontravam centrados nas Fábricas do Barreiro. Relativamente à Juta, Cairo e Sisal, eram matérias primas provenientes não só do nosso Ultramar (Angola e Moçambique) como da Índia, Bangladesh, ou Birmânia. Os navios da Sociedade Geral terão neste processo uma enorme importância, já que era neles que tais matérias primas eram transportadas até ao Porto Fluvial da CUF no Barreiro. Ali eram descarregadas e depois transformadas numa vasta gama de produtos, que ia desde as cordas, até à tapeçaria.