quarta-feira, 31 de outubro de 2007

O Grupo CUF recebe em 1971 “Le Trophée International de L´Industrie”


O Institut International de Promotion et de Prestige com sede em Genève atribuiu no ano 1971 a sua mais alta distinção – O Troféu Internacional – à Companhia União Fabril. O Instituto foi criado em 1963, em seguimento de um desejo de André Maurois, da Academia Francaise, de reunir personalidades de numerosos países, tendo finalidade homenagear aqueles que se distinguissem na valorização do património cultural mundial, alargou posteriormente a sua actividade aos domínios do humanitário, cientifico e industrial, esforçando-se por promover o progresso nesses campos. É uma entidade isenta de ligações politicas, financeiras e religiosas. Do mesmo Instituto fazem ainda parte individualidades da maior representação social na França, Holanda, Madagáscar, Estados Unidos, Hungria, Áustria, Japão, Marrocos, Itália, Suécia, Noruega, Israel, Espanha, Honduras, Grã-Bretanha entre outras. Durante décadas tem honrado com os seus três prémios – Medalha Internacional Humanitária, Troféu de Promoção Internacional e Troféu Internacional – numerosas personalidades e empresas.



Este prémio só poderia ser atribuído a empresas que tinham atingido fama internacional. O Grupo CUF foi destacado pelo seu desenvolvimento e evolução, pelo seu lugar cimeiro na indústria portuguesa e por ser um dos mais importantes grupos económicos europeus. A cerimónia de entrega do Troféu que coincidiu com a dos festejos do 1º Centenário do Nascimento de Alfredo da Silva, foi efectuada no Barreiro.

Algumas empresas que receberam também este prestigioso troféu:

Domínio Cientifico:

NASA – (National Aeronautics and Space Administration)

Domínio Industrial:

Automóveis Porsche (Alemanha)

Dragados y Construcciones S. A. (Espanha)

Sociedade de Produtos Químicos Solvay (Bélgica)

Compagnie General d´Electricité – C.G.E. (França)

Grupo Royal Dutch-Shell (Holanda – Grã-Bretanha)

Farmitalia de Montecatini (Itália)

Grupo Siderúrgico Cockerill (Bélgica)

Alfa-Laval (Suécia) entre muitas outras pois a lista é muito extensa.

N.B. – Quem consultar o site do Instituit International de Promotion et de Prestige, verificará que para além da CUF, a Lisnave receberá esse prémio em 1980 assim como do Grupo Unicer em 1991., sendo até ao momento as únicas empresas nacionais que receberam tal prémio.

Indice das Imagens:

1 - Sede do Instituit International de Promotion et de Prestige

2 - Trophée International de L´Industrie

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Barreiro - Bairro Operário da C.U.F.

Neste pequeno filme feito a propósito dos 100 anos da CUF no Barreiro, podemos visitar o primeiro Bairro Operário da CUF construido em 1908 e que hoje é parte do núcleo histórico da Quimiparque.

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

A Presença do Grupo CUF no sector Imobiliário

Projectada numa época onde grande parte dos investimentos no mercado imbiliário se encontravam situados nas zonas turísticas, Miratejo foi algo de inovador. No nosso país excluindo a empresa J. Pimenta, que na área da Grande Lisboa (Reboleira, Amadora, Cascais, Paço de Arcos etc.) construiu grandes bairros habitacionais, não existiam empresas semelhantes com tal dimensão.

Surge então a Realimo no Outono de 1966, com um capital de 50.000.000$00, fruto de uma join venture efectuada entre o Grupo CUF e o Grupo CFE de origem belga. A primeira missão desta nova empresa foi efectuar um estudo sobre o nosso mercado imobiliário. Na época assistia-se a um grande crescimento dos subúrbios da Capital, assim em 1967 a Realimo projecta uma nova cidade na margem sul designada por Miratejo Cidade Panorama. Na sua época era sem duvida um projecto urbanístico de grande envergadura, que implicava a deslocação quotidiana de 10.000 pessoas para a Capital. A sua situação geográfica, junto ao Laranjeiro, Almada e a 3 Km de Cacilhas, permitia uma rápida ligação a Lisboa (Auto-Estrada do Sul, Ponte Sobre o Tejo e Cacilheiros).


Este projecto respondia à dupla necessidade de trabalhar na cidade, e a possibilidade de viver numa zona calma, perto da Capital. Este projecto foi aprovado pelo Alvará de Licença de Loteamento nº 13 de 22 de Dezembro de 1967, começando de imediato as obras de construção. A cidade era divida em duas zonas, uma área urbana constituída por prédios e outra situada junto do pinhal para vivendas.





Alguns Dados sobre o Projecto de Miratejo Cidade Panorama:

Infra-estruturas Básicas

- 5,5 km de estradas

- 7 km de redes de esgotos

- Instalação de uma rede de distribuição eléctrica, e de iluminação pública, comportando 20 postes de transformação e 16 km de cabo eléctrico.

Observando o esquema urbanístico colocado acima veja-se a descrição da Zona Comercial e Serviços:

1 - Centro Comercial, situado em zona pedonal, com 80 estabelecimentos comerciais e um Supermercado

- Um Banco

- Um Cinema com 600 lugares

- Um posto médico

- Uma esquadra de polícia

2 - Escola primária para 600 alunos e dois jardins infantis para 400 crianças

3 - Igreja e Centro Paroquial

4 - Mercado Municipal

5 - Restaurante situado na zona de pinhal com vista panorâmica.

6 - Estação de Serviço

Dados que possuo afirmam que Grupo CUF esperava a cifra de 200.000.000$00 em vendas para o ano de 1973 neste empreendimento. Em 1972 a REALIMO associou-se a uma empresa de arquitectura civil chamada Pro-Constroi.

Antes de terminar quero ainda referir que o Grupo CFE não era uma empresa qualquer, pois tinha uma larga experiência no ramo e com importantes empreendimentos por toda a Europa, caso do antigo Centro Administrativo da CEE em Bruxelas. Em todas as áreas de negócio o Grupo CUF tentou sempre associar-se aos melhores.

Índice das Imagens:

1 - Vista Aerea da futura Cidade de Miratejo (1967)

2 - Esquema da localização geográfica de Miratejo

3 - Primeiro Bloco Habitacional, Novembro de 1969

4 - Esquema da Cidade de Miratejo

Fontes:

O Grupo CUF, (ediçao da CUF) 1973

Publicaçao de Miratejo, da autoria da Realimo, datada de 1969

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Coleccionismo CUF




Este é um Isqueiro tipo Zippo, com publicidade á Divisão Textil da CUF, bem como ás suas alcatifas, que nos anos 50, 60 e 70 eram muito famosas não so pela sua qualidade como pela sua diversidade. É um belo exemplar e que se encontra em execelente estado de conservação. Podemos assim constatar que a história de uma empresa também se encontra presente nesta pequenas coisas.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Visita ao Museu da CUF no Barreiro

Este é um video que mostra não só o núcleo museológico da CUF no Barreiro, parte da Casa Museu Alfredo da Silva, bem como um filme de época (anos 60/70) onde primeiramente aparece uma camioneta da Colónia de Férias da CUF a levar as crianças para Almoçageme, onde se situava a respectiva Colónia, mostrando ainda parte do complexo industrial do Barreiro. É mais um excelente video feito por ArtBarreiro.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

C.I.E. – Comissão Interna da Empresa

No universo empresarial da sua época a CUF como se sabe introduziu ao longo dos anos constantes inovações na sua politica laboral. Em 1963 a CUF introduziu a C.I.E. (comissão interna da empresa) que veio á época revolucionar o mundo empresarial de então, com tanto sucesso que esta foi sendo alargada a outras empresas do Grupo (U.F.A., Tabaqueira e Lisnave). Esta pretendia ser um elo de ligação entre os empregados e a Administração, podendo desta forma expor os seus problemas de forma a serem resolvidos em conjunto.

Pegando no texto publicado na revista de informaçao interna “tem como finalidade promover um clima de confiança mútua e boa colaboração entre os componentes da mesma (dirigentes e executantes), de modo que todos trabalhem como uma equipa na consecução do objectivo fundamental da Empresa: a sua prosperidade e o seu progresso, factores indispensáveis para o bem-estar social de todos os que nela trabalhem e contribuição positiva para a economia do País."


Mais á frente pode ler-se:“Tem como objectivo a Administração informar o pessoal da empresa, dos acontecimentos mais importantes da sua vida, dos seus planos de expansão, dos seus problemas e dificuldades, na melhoria das condições de trabalho e da produtividade e dos Trabalhadores comunicar à Administração os seus anseios e pretensões e fazer as suas sugestões.”

Composição da C.I.E.

Esta encontrava-se dividida em vários grupos ou por sectores (ex. Grupo 1 – Engenheiros ou agentes técnicos, Grupo 2 – Empregados de Escritório, Desenhadores, Grupo 3 – Encarregados, operários-chefes, pessoal técnico etc.) Esta divisão por grupos abrangia todos os funcionários da empresa qualificados ou não, com cargos administrativos ou não, todos se encontravam inseridos na C.I.E.

Por grupo eram eleitos 3 indivíduos, o mais votado era designado o delegado desse grupo ou subgrupo. De seguida eram eleitos 3 indivíduos na condição de substitutos a desempenhar o lugar, para o caso de em necessidade da ausência do Delegado, haver uma representação de cada grupo nas C.I.E. Os membros eram eleitos no início de cada ano. Os resultados das C.I.E. eram apresentadas na Revista de Informação Interna da C.U.F. o mesmo se passando na Lisnave, na sua revista interna. Nos outros casos, Tabaqueira e U.F.A não tenho dados sobre onde seriam apresentados ou se haveriam à semelhança das outras duas empresas também revista de informação interna.

Exemplos de temas tratados nas C.I.E.: Assistência Média e Medicamentosa, Dispensa, Acidentes de Trabalho, Acordo Colectivo de Trabalho, Fornecimento de Refeições nos refeitórios CUF, Colónia de Férias, Bairros CUF – Conservação, Cursos de Educação de Adultos, Hospital CUF, Abonos para o Almoço do Pessoal Operário, Horários dos Transportes etc.

Fontes:
- Revista de Informaçao Interna da CUF
- Revista de Informação Interna da Lisnave

terça-feira, 2 de outubro de 2007

CUF – Departamento de Projectos

Corria o ano de 1934, quando foi criado o primeiro gabinete de projectos, tendo sido instalado na antiga Oficina de Caldeiraria, onde foram colocados 2 estiradores. Devido á evolução da Companhia e do seu ritmo de trabalho, este gabinete foi sendo constantemente aumentado passando para o número de 8 em 1945, subindo para o número de 12 em 1947. Ainda neste ano foi montada uma sala de Desenho num compartimento privativo do 1º andar do Edifício dos Escritórios da Zona Metalo-Mecânica. Os desenhadores encontravam-se agrupados em duas equipas de 6 elementos cada, sendo uma da especialidade de mecânica e outra de estruturas metálicas.

Em 1952 devido ao crescente desenvolvimento da Companhia, e porque o espaço desse departamento começava já a sua exíguo, levando a incomodas condições de trabalho, foi de novo transferida para o 1º andar do edifício onde, funcionaram as oficinas Eléctrica e de Carpintaria, junto ao edifício do Posto Médico. Em 1954 foi-lhe instalado a título provisório um Gabinete Fotográfico, onde passaram a executar-se os primeiros trabalhos das “Reproduções Fotográficas” quer por fotografia quer por fotocópia. E o que era isto de “Reproduções Fotográficas”? Não nos podemos esquecer que, para cada projecto elaborado por este Departamento eram necessárias cópias para serem entregues ao arquivo, a secção e que pertencia o projecto e ao técnico que ia trabalhar com os maquinismos (quando era o caso).

De 1952 em diante, devidas às exigências de trabalho mais volumoso das diferentes Zonas, aparecimento de novas técnicas oficinais, implantações de novos fabricos, levou à admissão gradual e sucessiva de mais desenhadores, agentes técnicos, engenheiros etc.
Por volta de 1957/58 a quantidade de desenhadores, atingia o número dos oitenta, agrupados em várias equipas, que constituíam diversas especialidades como a mecânica, estruturas metálicas, tubagens, electricidade, construção civil etc.

Em 1958/59 devido a uma nova orgânica adoptada, operou-se a descentralização da Sala de Desenho, passando a denominar-se Departamento de Projectos, consistindo na criação dos chamados Centros de Estudo, primeiro nas Zonas e, mais tarde, nos Departamentos (Conservação Mecânica, Electrotecnia etc.). Deste modo muitos dos desenhadores que aí haviam adquirido a sua experiência foram transferidos, tanto para os Centros de Estudo, como para a Profabril (Empresa de Estudos e Projectos fundada pela C.U.F. em 1963). A actividade do Departamento de Projectos passou a dar o apoio necessário às Fábricas do Barreiro, todas as novas construções de fábricas, edifícios, instalações de maquinismos, etc., passavam por este departamento.

Pessoal existente no Departamento de projectos (ano de 1965)

Chefes de Serviço e secção.........................................4

Desenhadores (mecânica, estruturas metálicas, tubagens)...17

Empregados de Escritório...........................................3

Fotógrafo.............................................................1

Operadoras do Gabinete Fotográfico..............................3

Operador das reproduções heliográficas..........................1

Arquivistas...........................................................2

Operários.............................................................7

Total.................................................................38


Índice das Imagens:

Foto 1 - Aspecto da Sala de Desenho de Mecânica

Foto 2 - Tiragem de cópias heliográficas

Foto 3 - Um aspecto do estúdio de Fotografia Industrial

Fonte: Revista de Informação Interna CUF, Setembro de 1965